Ocupação suspende temporariamente as atividades do Incra em Goiás

go-ocupa-220517

Manifestantes ocuparam a sede do Incra Goiás nesta manhã (22), interrompendo o atendimento à população.

Os ocupantes são integrantes de um movimento social de luta pela terra.

Estamos empenhados em negociar com os manifestantes a desocupação do prédio e a retomada do atendimento à população o mais breve possível.

Nossas atividades serão retomadas tão logo o prédio seja liberado à entrada dos servidores.


Lamentamos os inconvenientes à população e reiteramos que o diálogo com esse grupo e os demais movimentos nunca foi interrompido.

 

Ocupação suspende temporariamente as atividades do Incra em Goiás

Água para Todos: Incra e governo estadual definem calendário para 2017

go-aguaparatodos-maio17
Superintendente da Secretaria de Desenvolvimento do Estado de Goiás, Rosidalva Lopes, apresenta cronograma 2017 de estudos e obras para abastecimento de água em assentamentos de 13 municípios goianos. Ações serão executadas com recursos do Programa Água Para Todos, do governo federal.

Assentamentos de 13 municípios goianos (veja lista abaixo) terão estudos de demanda e prospecção de água concluídos no mês de agosto.

E, até o final do ano, duas áreas da reforma agrária já receberão sistemas coletivos de captação, armazenamento e distribuição de água.

As ações serão executadas pela Secretaria de Desenvolvimento do Estado de Goiás (SED), através do Programa Água Para Todos, do governo federal .

O cronograma de trabalho foi apresentado ao Incra, ontem (18) à tarde, pela superintendente estadual de Políticas e Programas de Pesquisa e Desenvolvimento da SED, Rosidalva Lopes (foto à direita).

Representando o Incra, participaram da reunião o chefe da Divisão de Desenvolvimento, Henrique Seleme Lauar e o perito federal agrário, Luiz Fernando de Matos Pimenta.

Segundo informações da SED, o governo estadual deverá abrir edital em setembro para contratar as empresas que executarão a obra.

Sistema coletivo de captação, armazenamento e distribuição de água

De acordo com Pimenta, os sistemas coletivos de captação, armazenamento e distribuição de água, terão hidrômetros individuais para medição do consumo – o que facilita a leitura de verificação de consumo e a administração do uso da água.

Cada sistema atende até 50 famílias de assentados e custa, em média, R$ 200 mil.

A intenção é, quando possível, aproveitar a mão de obra dos trabalhadores rurais para executar os serviços.

Após a implantação em 45 assentamentos de Goiás (sendo 22 sob a jurisdição da Superintendência Regional do Incra em Goiás e 23 no nordeste goiano, sob jurisdição da regional do Distrito Federal e Entorno), as linhas subterrâneas de distribuição devem atingir aproximadamente 2 mil quilômetros.


Municípios onde estão localizados os 22 assentamentos (na jurisdição do Incra Goiás) que receberão estudos de demanda e prospecção de água:

  • Baliza
  • Bom Jardim de Goiás
  • Caiapônia
  • Campinaçu
  • Campinorte
  • Crixás
  • Fazenda Nova
  • Minaçu
  • Niquelândia
  • Novo Planalto
  • Santa Terezinha de Goiás
  • São Miguel do Araguaia
  • Vila Propício
Água para Todos: Incra e governo estadual definem calendário para 2017

Servidora do Incra é primeira mulher assumir Ouvidoria Agrária Regional

go-posse-ouvidora-maio17
Primeira mulher ouvidora agrária regional, Josina Chilon aceitou o desafio de lidar com os conflitos no campo: “tenho confiança na equipe de técnicos do Incra. Faço parte de um grupo, não estou sozinha neste papel”

Tomou posse, hoje (08), pela manhã, a primeira mulher a ocupar o cargo de ouvidora agrária regional de Goiás, responsável pela mediação de conflitos por terra no estado. Josina Maria Chilon é servidora do Incra desde 1976 e substituirá Mozair Luiz Furtado.

A posse contou com a presença do ouvidor agrário nacional, Jorge Tadeu Jatobá (ex-superintendente do Incra em Goiás), do superintendente regional do Incra em Goiás, Eurípedes Malaquias, do Procurador federal-Chefe da Especializada/Incra, Noemir Brito, de servidores da casa e representantes dos movimentos sociais.

Uma das principais atividades da Ouvidoria é a mediação de conflitos por terra, associados a episódios de violência e tensão. Entretanto, a ouvidora não teme o desafio. “Aceito porque tenho confiança na equipe de técnicos do Incra. Faço parte de um grupo, não estou sozinha neste papel”, ressaltou.

Para Eurípedes Malaquia, a presença de uma mulher na ouvidoria é também uma aposta na “sensibilidade, justiça e verdade típicas de um coração de mãe”.

Para os colegas, a escolha foi certeira.”É uma pessoa de perfil conciliador, reto e generoso por natureza”, ressaltou a servidora Maria do Carmo Oliveira.

Trabalho e celeridade

O ouvidor agrário nacional, Jorge Tadeu Jatobá, destacou a autonomia e nova força dos ouvidores, agora que a Ouvidoria Agrária Nacional está ligada diretamente ao presidente do Incra (antes era subordinada à Secretaria Especial de Agricultura Familiar – o antigo Ministério do Desenvolvimento Agrário).

Jatobá lembrou que o momento é de muito trabalho e celeridade. “Temos que mapear os conflitos existentes e já levantar soluções”, alertou.

O ato teve também um espaço de agradecimento ao empenho dos dois últimos ouvidores agrários no cargo.

go-posse-ouvidora-autoridades-maio17
Posse da primeira mulher ouvidora agrária regional (ao centro), foi prestigiada pelo (da esquerda para a direita) superintendente-regional substituto, Gilson Filho, pelo procurador-chefe da PFE/Incra, Noemir Brito, pelo Ouvidor Agrário Nacional, Jorge Tadeu Jatobá, e pelo superintendente regional do Incra em Goiás, Eurípedes Malaquias.
Servidora do Incra é primeira mulher assumir Ouvidoria Agrária Regional

Fazenda Bacuri é agora o Assentamento São Domingos de Gusmão, o primeiro criado em 2017

go-bacuri-sede
Criado no município de Goiás, o assentamento São Domingos de Gusmão tem 1,6 mil hectares e capacidade para 45 famílias. Nome é homenagem à atuação de padres dominicanos em prol da reforma agrária na região.

Com a publicação da portaria de criação, hoje (27), no Diário Oficial da União, formalizamos a criação do assentamento São Domingos de Gusmão, o 23º criado no município de Goiás e o primeiro de 2017.

Segundo estudos da nossa equipe, o imóvel tem capacidade para abrigar até 45 famílias de trabalhadores rurais sem terra nos quase 1,6 mil hectares de área.

A fazenda Baucri foi comprada pelo Incra por R$ 10.968.110,37, após aprovação popular prévia em audiência pública. A área foi escriturada no nome da autarquia em dezembro de 2016.

O custo família, que é o valor que cada família beneficiária deverá pagar ao Incra pelo lote recebido, foi calculado em cerca de R$ 150 mil.

Nome é homenagem aos dominicanos

As famílias que serão beneficiadas vivem em dois acampamentos na região e esperam há mais de dois anos pela terra, segundo informações da Regional Goiás da Comissão Pastoral da Terra (CPT).

Ainda de acordo com a CPT, o assentamento recebeu o nome de São Domingos de Gusmão em “reconhecimento [dos trabalhadores rurais] à presença e atuação dos dominicanos na Cidade de Goiás, na luta em defesa dos Direitos Humanos e na Reforma Agrária.”

A terra e as águas

O Relatório Agronômico feito por peritos aqui da superintendência aponta que os futuros assentados do São Domingos de Gusmão poderão explorar a bovinocultura mista (leite e carne); a criação de animais de pequeno porte, principalmente aves para fornecimento de carne e ovos; a piscicultura; apiários, além de hortaliças, plantação de mandioca, milho e pomares.

O local também é bem servido de água; o Rio Vermelho, um dos mais importantes da região e o mesmo que corta a cidade histórica de Goiás, é um dos limites do imóvel.

Turismo alavanca mercado

A Cidade de Goiás, sede do município, foi fundada no ciclo da mineração e hoje é Patrimônio Histórico e Cultural da Humanidade e um dos pontos turísticos mais visitados do estado.

Segundo o relatório agronômico, isso garante um mercado consumidor constante para os produtos da reforma agrária.

município tem ligação histórica com a reforma agrária goiana; abriga o primeiro assentamento criado aqui pelo Incra, o Mosquito, em 1986 e a maior quantidade de assentamentos num só município goiano, totalizando 23.

Fazenda Bacuri é agora o Assentamento São Domingos de Gusmão, o primeiro criado em 2017

Fique atento ao novo horário de atendimento presencial no Incra

MUDAHORARIO

Alteramos o horário de atendimento presencial em nossa sede.

A partir de agora, o atendimento presencial no Incra Goiás será feito exclusivamente no período da tarde, das 14h às 17h.

Portanto, a Sala da Cidadania passa a funcionar e receber o cidadão das 14h às 17h.

As demais atividades e atendimentos (por e-mail e telefone) continuarão sendo realizados nos horários normais, das 08h às 12h e das 14h às 18h.

A ideia é liberar o período da manhã para o servidor se concentrar nos serviços internos e dar andamento aos processos.

Apenas as reuniões no Gabinete continuarão ocorrendo durante o dia todo, quando previamente agendadas.

 

Fique atento ao novo horário de atendimento presencial no Incra

Incra busca parceria com Faeg para capacitar assentados

go-parceria-senar-abril17
Eurípedes Malaquias (esq.) e José Mário Schereiner (dir.) estudam parcerias entre a Faeg e o Incra para capacitar assentados e prestar serviço de assistência técnica

Nesta segunda-feira (24), o superintendente do Incra em Goiás (Incra\GO), Eurípedes Malaquias de Souza, esteve na Federação da Agricultura do Estado de Goiás (Faeg) para discutir com o presidente da entidade, José Mário Schereiner, maneiras de efetuar parceria por meio do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar).

A ideia é que técnicos do Senar realizem treinamentos e assistência técnica em áreas da reforma agrária.

Souza observou que a presença do Senar nos assentamentos goianos acontece com sucesso por outras vias, como os sindicatos de trabalhadores rurais.

“Então, é propício que seja institucionalizada esta relação, haja vista que um dos gargalos no campo é o aprimoramento da mão de obra”, sintetizou.

Shereiner sinalizou que os cursos de instrutoria (treinamentos) podem ser realizados de imediato a partir da articulação do Incra\GO com os Sindicatos de Trabalhadores Rurais.

Ele explicou que estas atividades já estão previstas dentro das ações do Senar. Quanto à assistência técnica, o presidente informou que é necessário realizar estudo de viabilidade e formas legais de constituição da parceria.

O engenheiro agrônomo Henrique Seleme Lauar, chefe da Divisão de Desenvolvimento do Incra\GO, presente na reunião, propôs que a parceria seja iniciada pelos 22 assentamentos a serem titulados em Goiás, nos mesmos moldes realizados pelas Superintendências Regionais do Incra em Roraima e Amapá nos anos de 2003 a 2005.

O perito federal agrário ficou de fazer um levantamento do interesse dos grupos assentados na atividade de instrutoria e de quais seriam suas demandas específicas.

Lauar disse que em 2016 70% dos cursos do Senar atingiram assentamentos do Incra\GO. Ele acredita que em duas semanas já tenha uma lista com estas informações.

Para Schereiner, o melhor investimento no campo é em assistência técnica, conhecimento e tecnologia. “Com essas bases, o produtor pode passar de uma produção de 30 litros\mês para 150 litros\mês de leite, aumentando sua renda mensal de R$ mil para até R$ 5 mil”, exemplificou.

Também participaram da reunião, realizada na sede da Faeg, em Goiânia, pelo Incra\GO, Elvis Richard Pires Goularte, chefe substituto da D, mais os senhores Bartolomeu Braz, vice presidente da Faeg e presidente da Aprosoja\GO, e Marcelo Lessa, chefe do Departamento Técnico do Senar\GO.

Incra busca parceria com Faeg para capacitar assentados